domingo, março 24, 2013

Quando não quero ser mais eu... faço uma tatuagem, mudo o cabelo, troco de emprego, de amigos... mudo tudo...
No fim acabo sobrando de frente pro espelho e sou eu de novo... um pouco mais colorida... um pouco mais solitária...
Eu me volto pras palavras e venero seus encantos... como se por me descreverem pudessem me bastar... "Palavra não faz carinho, menina, palavra não dá colo!"
É de abraço que eu preciso quando não há mais letra, tatuagem, tinta, papel, caneta, poesia... Quando não tem mais rima... é de corpo e conforto que eu preciso...
O tempo, superestimado, não muda nada... só faz confundir realidade e passado num borrão sem cor...
E eu vivo de acreditar na próxima semana... minhas esperanças estão no próximo mês... quero... tudo novo, tudo limpo, tudo pronto pra ser diferente... ar fresco, um alívio ou certa angústia...
É tempo de ser mais eu... é tempo de me esquecer, de me perder, tempo de ter mais tempo...
Se num dia desses eu encontrar o que eu procuro, nesses caminhos tão avessos, talvez eu não precise de palavras...
E então serei eu, de frente pro espelho, sem medo de ser quem me olha de volta...
[Veronica Heiss]