quinta-feira, dezembro 20, 2012

Você me pediu perdão como se pudéssemos remover com uma borracha nosso pequeno e trágico passado...
Mas eu te perdoei... porque não consigo gastar um átimo de segundo da minha existência guardando qualquer sentimento por você...
E para te perdoar, precisei perdoar também a mim mesma... pela armadilha que criei quando eu estava triste e desorientada demais para achar que você pudesse me dar qualquer tipo de direção... quando desabei nos seus braços e me deixei levar pelas suas mentiras...
... O que você me causou e as conseqüências que tive que administrar, por causa da sua covardia, me fortaleceram de tal forma, que o meu horizonte interno se ampliou no peito e nos olhos...
Por isso, a pessoa que consegue te perdoar hoje, não é a mesma que você feriu...
O mal que você tem feito a si mesmo não é mais problema meu e a minha presença seria um presente dado a alguém que não merece...
Eu poderia ter ajudado você a se lapidar com a minha predisposição para o amor... mas você, acostumado a viver na escuridão, não soube suportar a minha luz.......
[Marla de Queiroz]