segunda-feira, novembro 28, 2011

Amar é Pink!

Para mim, é inconcebível vivermos na segunda década do ano dois mil e ainda percebemos quilos de preconceito em cima de quem optou amar (e se relacionar) com pessoas do mesmo sexo.
Amor é amor, independente se seu par e você fazem xixi em pé ou sentado.
Esqueça a religião, os dogmas sociais... A natureza está ai pra provar que o amor entre o mesmo sexo existe desde que há vida na Terra.
A nossa geração está mais leve, ao que me parece. Mas, nem por isso deixam de sofrer, de passar por bullings na família, na faculdade e no trabalho. É triste isso...
Na minha opinião, o amor deveria estar acima de tudo!
Ser gay não é problema, doença ou desvio de caráter. Pelo contrário...
Tenho grandes amigos gays e isso pra mim é tão natural, que fica até difícil explicar. Não sou gay por um triz. (Ou, talvez, por ser uma fiel adoradora do universo masculino... rs).
Me deixa triste ver que existe muita gente que se ama e que, se não estão juntos (ou juntas), é porque a sociedade os faz pensar que isso tudo está errado.
ESTÁ ERRADO, SOCIEDADE?
Desde quando AMAR é pecado? Pessoas podem e devem amar quem quiserem... Independente do sexo... Independente da conta bancária... Independente de toda a cafonice...
O AMOR É O QUE DÁ SENTIDO A VIDA! E quem no mundo tem o direito de tirar o SENTIDO da vida de alguém, por puro preconceito? Pensem... reflitam...


ESTÁ NA HORA DE MUDARMOS ESSE CENÁRIO!

[Fernanda Mello]

quinta-feira, novembro 24, 2011

Bipolar é pouco pra mim...

Sou multipolar...


[Fabrício Carpinejar]

sábado, novembro 19, 2011

Eu quero um pouco mais... mais um pouco dessa "overdose de viver"...
Me traga duas doses de Felicidade com três pedras de gelo, ok?!
[Maxuel Scorpiano]

terça-feira, novembro 15, 2011

Eu sei... não sou uma mulher fácil...
Em meu coração, guardo caixas de desejos...
Às vezes, sou menina... doce e delicada...
Outras vezes, sou mulher... felina e feroz...

Eu sei... sou tudo ou nada...
Oito ou oitenta... odeio meio termos!
Por isso, não acelere se não está preparado para avançar meus sinais vermelhos...
Não queira entrar em meus lençóis se não pode me dar a madrugada...

Eu sei... eu transpiro mistério...
Mas se quiseres saber mais sobre mim... decifra-me nas entrelinhas...
Eu digito enigmas, transpiro pistas, revelo atalhos...

Não tente me entender...
......... apenas me sinta.

sexta-feira, novembro 11, 2011

Eu sempre quis te contar sobre aquele dia...
Sempre quis me sentar ao seu lado e dizer o que você foi na minha história...
Por muito tempo esperei uma iniciativa sua... e alimentei uma esperança bonita sobre essas coisas de destino...
(...) Mas até hoje eu não sei o que realmente fui pra você... O que sei é que tudo foi muito forte e a dimensão do que você estava me causando, me fez romper comigo mesma... perdi a noção de muitas coisas...
(...) E o que parecia singelo, foi tomando formas avassaladoras na minha alma... Era o desejo me agredindo... era obsessão...
(...) Eu queria muito te contar sobre tudo isso um dia...
Ninguém entendeu nada... Nem eu...
(...) Só usei a última carta que eu tinha pra fugir e te mostrar que eu não estava nem aí pra tua insuportável falta de atitude...
Houve dias em que eu quis que você viesse até mim e dissesse com todas as letras: “Acorda! Não te quero!” (...) Ou que me escrevesse algo seco do tipo: “Me esquece!”
Quem sabe assim, eu não teria me desencantado de você? Te chamaria de estúpido, e tentaria te odiar...
Mas você nunca foi assim... Nunca reagiu a nada... Era o mesmo modo tranqüilo, ainda que nas piores situações...
Senti vontade de te por contra a parede, te matar... te encher de beijos... te amar...
É,eu nunca soube o que você sentiu...
(...) Já faz um ano... e eu ainda não me esqueci... nem nunca entendi o que houve entre a gente...

[Patrícia Vicensotti]

"Levemente adaptado"

segunda-feira, novembro 07, 2011

Hoje, depois de muito tempo, eu acordei e não me olhei no espelho...
Eu não precisei confirmar se eu era bonita...
Eu acordei tendo certeza!
[Tati Bernardi]

quarta-feira, novembro 02, 2011

Porque eu não gosto (mais) de você...

Porque você me deu o melhor abraço noturno que alguém já me deu e depois deixou meus braços órfãos...
(...) E me fez querer que fosse sábado no domingo...
Você tentou me convencer que estava tudo bem entre nós quando meu coração estava intranquilo...
E parou de me ouvir em algum momento em que continuei falando, perdendo a parte mais importante da história...
Você me deixou sozinha... e ainda estava do meu "lado"...
(...) E foi embora em algum momento sem se despedir, enchendo com palavras tristes aquela estrofe do meu poema incompleto...
Por que eu não gosto mais de você?
(...) Porque me fez acreditar que os holofotes estavam todos voltados para mim e que você era minha platéia, e nem me visitou no camarim quando decretou que o show havia terminado...
Porque você arrancou de mim a inspiração que eu não tinha, me fez bolinar as palavras pra eu escrever pra você aquelas coisas doces e as esqueceu num canto qualquer do porta-luvas do seu carro... E tinha um coração palpitando ali...
Porque você me fez escutar a mesma música sozinha trilhões de vezes porque a melodia trazia um jeito seu pra perto...
Porque você (...) tocou violão olhando nos meus olhos naquele trecho da música em que a palavra amor aparece duas vezes...
Porque você me seduziu completa e absolutamente se fazendo deslumbrante quando não estava disponível afetivamente...
Porque você me roubou a solidão e não me fez companhia...
[Marla de Queiroz]