sábado, outubro 30, 2010

O seu toque... o nosso tato... tem cheiro de chuva e terra molhada... com gosto de fruta madura colhida do pé...
Cena boa de se ver...
E os nossos sussurros são músicas...... que o meu sexto sentido compôs...

(Pois sou inteira para você)
[Érica Vittorazzi]

quarta-feira, outubro 27, 2010


Sigo a vida conforme o roteiro...
Sou quase normal por fora, pra ninguém desconfiar, mas por dentro eu deliro e questiono...
Não quero uma vida pequena, um amor pequeno, um alegria que caiba dentro da bolsa.
Eu quero mais que isso...
Quero o que não vejo...
Quero o que não entendo...
Quero muito e quero sem fim!
Não cresci pra viver mais ou menos.
Nasci com dois pares de asas (...)


Por isso, não me venha com superfícies... nada raso me satisfaz.
Eu quero é o mergulho... Entrar de roupa e tudo no infinito que é a vida...
Rezar e acreditar... pra sair ainda bem melhor do lado de lá.

[Fernanda Mello]

domingo, outubro 24, 2010


Dizem que a Primavera chega trocando a roupa da paisagem...
E no auge da sua descrença o dia amanhece de novo...
Quando não queria mais fugir de si mesma, foi surpreendida por uma voz de timbre limpo, olhos atenciosos e mãos que diziam coisas...
Era alguém que tranqüilizava quando apenas sorria... Uma pessoa que trazia em si o amparo de tudo... Tinha o dom da conveniência e da clareza e pronunciava reciprocidade...
O fato, resumindo, é que o amor não era mais aquele estardalhaço...
O amor era suave e tinha um jeito de penetrar sem invadir, de libertar no abraço...
O amor não era mais aquela insônia, mas sonho bom na entrega ao desconhecido...
O amor não era mais a iminência de um conflito, mas uma confiança na vida...
E, pela primeira vez, o amor não carregava resquícios de abandono, pois havia descoberto: o amor estava ali porque ambos estavam prontos...
O Tempo estava certo!

[Marla de Queiroz]

Eu não espero que você seja o grande amor da minha vida, parei de acreditar nisso...
(...) Mas não quero que você me largue. Não quero te largar...
(...) Dessa vez eu queria muito que fosse diferente... Dessa vez, com você, eu queria que desse certo...
(...) Que você gostasse e cuidasse de mim como ontem à noite você cuidou. Eu quero que dê certo...
(...) Mesmo que a gente não fique juntos pra sempre, mesmo que acabe semana que vem... Nunca destrua o meu carinho por você... Nunca esfrie o calorzinho que aparece dentro de mim quando você liga
(...) Me deixe um dia, se quiser... Mas me deixe te amando... É só o que eu peço...
[Tati Bernardi]

sexta-feira, outubro 22, 2010



Quero o circo todo a que tenho direito: sedução... fantasia... tempo...
Quero um romance longo... quero intimidade...
Fazer cena de ciúme, terminar, voltar, amar, brigar de novo, telefonar, pedir desculpas, retornar...
Amantes bem comportados são um tédio!


[Martha Medeiros]

terça-feira, outubro 19, 2010

Não, eu não sou hábil em mentir... Não sei mentir o que me pulsa...
Não gosto de me vestir inocente... sou vermelho malícia...
A porta da frente, não a casa de fundos...
Eu não sou um poço de regras...
Minha verdade é na retina que guardo...
Os meus sons são esses... é o universo que escuta...
Minha música é me escrever...

sábado, outubro 16, 2010

Uma vez minha vó me disse que homem é igual a biscoito: vem um, vêm 18. Eu naquela época achei graça. Mas só hoje, anos depois (...) eu compreendi tudo sobre essa teoria. E vi que vovó tinha razão!
Funciona assim: quando a gente tá carente, sozinha, solteira, e sai ligando pra todos os paqueras, ex-namorados, rolos e afins, ninguém te quer, não é? Pois é... Essa é a primeira fase: tocos em profusão.
Na segunda fase, a gente resolve que não precisa de homem nenhum pra ficar bem, e aí aparece um só pra contradizer nossa certeza de auto-suficiência. Vem todo carinhoso, romântico, paparicante... A gente baixa a guarda, começa a sair com o cara, percebe que ele é interessante, resolve ver no que dá. Vai saindo, conhecendo, ficando... E aí o que acontece?
Entra na fase 3: a Teoria do Biscoito. Chega um momento em que tu sente que a historinha tá evoluindo pra um possível compromisso, que está gostando daquele carinha, mesmo que ele não seja o príncipe encantado que sempre habitou seu imaginário de mulherzinha.
Só que aí, neste exato momento, TODOS os outros que te dispensaram antes começam a te ligar. Parece que eles farejam no ar, que combinam entre si. Acho que a gente deve exalar algum cheiro diferente que, interpretado pelo cérebro masculino, diz "eu encontrei alguém, não estou disponível". Imediatamente, você se torna o objeto de cobiça de todos eles. Talvez justamente por estar radiante, feliz e não-disponível (...)
Tem gente que acha isso o paraíso... Mas na boa, eu acho que só serve pra atrapalhar! Porque, como mulherzinha do bem que sou, eu só quero essa penca de homens me ligando quando tô na guerra, que é pra poder escolher... Mas depois que eu resolvo sossegar com um, não quero que ninguém fique me ligando pra semear a discórdia e a dúvida na minha mente.
Mas o babado é resistir às tentações... De repente, com tantos homens fantásticos te ligando, tu começa a olhar pro seu pretendente atual e a achar que ele não é tão bonito quanto o fulano, nem tão alto e gostoso como o beltrano, nem carinhoso e bem-humorado como o cicrano...
Você questiona se não está com ele por pura carência, porque ele apareceu num momento de falta de opções no mercado. E essa é a grande cilada... Muitas não resistem... Dispensam o gatinho atual e tentam administrar todos os outros. Eu já fiz isso.
Aí a Teoria do Biscoito entra na fase final: a de que quem come o pacote inteiro tem indigestão. Fica sem ninguém. Todos somem e você fica sozinha, se perguntando como foi que deixou escapar aquele carinha tão legal com quem estava saindo, só por capricho.
Eu não sei se funciona assim para todas as pessoas... Mas eu decidi que agora vou dizer um sonoro "não, obrigada" para toda a fila de negrescos com super-cobertura, e ficar sim com aquele que não é negresco, mas é bono de chocolate...
Que não é brastemp super-ultra-mega-estrelinha-plus, mas é consul-slim e se encaixa direitinho na minha casa...
Que não é o príncipe encantado, lindo, maravilhoso, perfeito, em cima do cavalo branco, mas que é um cara real, de carne e osso, que está do meu lado e quer ficar comigo...
Que me diverte e me agrada, e gosta das mesmas músicas que eu (...) e que fica bolando pequenas surpresas pra me fazer ver que é, sim, muito lindinho à sua maneira...
Simples assim... Se não der certo, não deu. Faz parte da vida...
Mas eu não preciso comer o pacote inteiro de negresco pra saber que um bono de chocolate me satisfaz!
[Martha Medeiros]

quarta-feira, outubro 13, 2010

Você foi caindo assim... como uma pena que brinca no ar de um lado para o outro... até pousar leve e suave... no lado bom do meu coração...

[Cáh Morandi]
♥ É pra janela do seu olhar que o meu destino aponta... ♥

sábado, outubro 09, 2010


Fica combinado assim: você louco por mim, eu louca até o fim...

[Martha Medeiros]

quinta-feira, outubro 07, 2010


Era uma vez uma pessoa linda, chamada Príncipe... que embelezava o mundo só por existir... E ele sorriu para mim e eu, inteligente, sorri de volta... E o meu mundo, que já não era em preto-e-branco ganhou cores novas... Cores de saudades... Cores de querer bem... Cores de reciprocidade... Cores de amar também... E agora eu acredito em arco-íris!


(com tesouro e tudo)


[Érica Vitorazzi]

terça-feira, outubro 05, 2010

Olhando daqui, percebo que pessoas e circunstâncias tiveram um propósito maior na minha vida do que muitas vezes, no momento de cada uma, eu soube, pude e aceitei ler.
Parece-me, agora, que cada uma, no seu próprio tempo, do seu próprio modo, veio somar para que eu chegasse até aqui, embora algumas vezes, no calor da emoção da vez, eu tenha me rendido à enganosa impressão de que veio subtrair.
A vida tem uma sabedoria que nem sempre alcanço, mas que eu tenho aprendido a respeitar, cada vez com mais fé e liberdade.
O tempo, de vento em vento, desmanchou o penteado arrumadinho de várias certezas que eu tinha, e algumas vezes descabelou completamente a minha alma.
Mesmo que isso tenha me assustado muito aqui e ali, no somatório de tudo, foi graça, alívio e abertura...
A gente não precisa de certezas estáticas...
A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar...
De se tornar manhã novíssima depois de cada longa noite escura...
De duvidar até acreditar com o coração isento das crenças alheias...
A gente precisa é saber criar espaço, não importa o tamanho dos apertos...
A gente precisa é de um olhar fresco, que não envelhece, apesar de tudo o que já viu...
É de um amor que não enruga, apesar das memórias todas na pele do coração...
A gente precisa é deixar de ser sobrevivente para, finalmente, viver...
A gente precisa mesmo é aprender a ser feliz a partir do único lugar onde a felicidade pode começar, florir, esparramar seus ramos, compartilhar seus frutos...
Tudo o que eu vivi me trouxe até aqui e sou grata a tudo, invariavelmente!
Curvo meu coração em reverência a todos os mestres, espalhados pelos meus caminhos todos, vestidos de tantos jeitos, algumas vezes disfarçados de dor...



[Ana Jácomo]

Sem palavras... perfeito para este momento!