sexta-feira, julho 16, 2010



Alguns meses atrás, Deus me enviou um presente ambíguo... uma possibilidade de amor...
Ou isso que, com alguma pressa e um certo descuido, chamamos de amor...
Acho que me apaixonei e não tenho vergonha de dizê-lo...
Confesso, porém, que não esperava...
De repente, encontrei uma pessoa que me fez sorrir (...)
Ele me fez descobrir que meus átrios e ventrículos pulsam, batem, 'latem' ou qualquer outro verbo que possa demonstrar o quanto o meu coração ainda está vivo...
Mas infelizmente nos desencontramos dentro dos nossos próprios desejos...
Tínhamos sedes distintas e medos palpáveis...
Resultado: nada ocorreu!
Nós ficamos presos nas possibilidades, no 'se', no 'vir a ser'... mas, nem tudo isso roubou a magia do nosso encontro, e nem tem diminuído a minha saudade...
Só não aconteceu... e isso me dói... machuca...
Mas em alguns momentos, me deixa feliz... por eu ter (quase) vivido aquilo que poderia ter (quase) virado amor...

[Érica Vitorazzi] - levemente adaptado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário